O Comércio Exterior em tempos de Coronavírus

Em meados do mês de março de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou o novo Coronavírus como pandemia, após mais de 115 países confirmarem casos de infecção. Diante de um cenário de incertezas, e de um mundo em transformação, fica evidente a necessidade de as empresas reinventarem as suas formas de pensar e fazer negócios.

Cada vez mais, as empresas deverão se valer da transformação digital para se aproximarem dos clientes. O cliente quer agilidade de resposta e obter as informações de produtos com um clique na web. Assim, a entrega de valor no mundo virtual tornou-se uma necessidade.

Algumas flexibilizações na parte burocrática dos processos já estão acontecendo, devido a este momento de pandemia, como, por exemplo, a não-exigência de documentos originais em meio físico na liberação das cargas no despacho aduaneiro, amparada pelo Decreto n° 10.278, de 18 de março de 2020. Além disso, o governo zerou o imposto de importação, de acordo com a Resolução nº 17 de 17 de março de 2020, para itens de combate ao Coronavirus, e facilitou a importação, permitindo que após o registro da declaração de importação, o importador poderá obter a entrega dos produtos antes da conclusão da conferencia aduaneira. Isso tudo traz mais dinamismo num setor marcado pelos desafios da burocracia.

Por outro lado, algo que não irá mudar, é a necessidade de se diferenciar e criar valor para os produtos. As empresas que se prepararem para a retomada da economia e que souberem aproveitar as oportunidades que serão criadas, adaptando-se para as mudanças que essa situação acarretará, irão se destacar no mercado global.

Fazendo um link com a mais recente postagem que fizemos no blog da Pisani , em um momento em que é permitido o trabalho home office, na maioria das organizações, já se ouve que este formato de trabalho amplia ainda mais seu conceito para o chamado “anywhere office”: atendimento ao cliente em qualquer lugar do mundo, utilizando a internet, na “palma da mão” e em qualquer horário.

Essa é uma realidade irreversível no mundo dos negócios, e em especial, nos negócios internacionais, por conta da diferença de fuso horário entre os países, velocidade dos negócios e da concorrência global.

Monique Susin Perosa

é Analista de Comércio Exterior, na Pisani Plásticos S/A. 

https://www.linkedin.com/in/monique-susin-perosa-a56b033a/

Deixe um comentário

Compartilhe este post

Share on linkedin
LinkedIn

Categorias

Posts recentes